segunda-feira, julho 10

Pela noite

Volto a escrever à noite. Desde hoje que volto a fazê-lo. Durante o dia é praticamente impossível escrever, pelo menos por enquanto. Assim, a noite passa a ser apenas minha depois do jantar. Eu, as letras e o meu escritório pela noite dentro.  Lembro-me de escrever assim, até às três ou quatro horas da manhã. Foi assim que escrevi o meu primeiro romance, o único que escrevi e que nunca foi publicado. Por mim nunca o será. Não que tenha algo que considere impróprio de ser publicado, até porque não há impróprios na literatura. Mas, tenho feito uma descoberta sozinha de quem sou como autora o que torna esta descoberta mais lenta, mais envergonhada, mais receosa. Sei que ainda não me descobri na totalidade, tenho dado passos cautelosos até que chegue o dia em que afirmarei com certeza e segurança o meu verdadeiro estilo. Esta ansiedade faz com que adiei este momento o mais que posso por sentir que talvez isto seja o mais importante de tudo.

Sem comentários:

Enviar um comentário